FELIZ DIA DAS CRIANÇAS

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

QUANTO VALE O MEU VOTO?


QUANTO CUSTA O MEU VOTO?
Por: Tio Jorge
Nesta manhã quando eu andava numa determinada rua, fui abordado por um Rapaz que logo de cara mim perguntou quanto valia o meu voto. Eu olhei nos olhos desse rapaz e disse, depende do preço que você tem para pagar. Ele, no entanto, disse, vai depender de quanto você quer pelo seu voto. Então perguntei quanto ele tinha naquele momento no bolso da calça para mim oferecer; ele respondeu dizendo o bastante para convencer-me a vender o meu voto. Então eu olhei para ele outra vez e disse, o custo que você tem a pagar pelo meu voto é igual aos desvios cometidos na construção das casas populares; o meu preço é um resumo do que foi desviado na construção de uma Creche; eu mim vendo pelos custos abusivos das obras superfaturadas nas reformas e construções de praças em determinadas ruas. O meu voto é igual ao que já foram gastos nas festas nos anos de 2009, 2010 e 2011 e de 2012. Mais se você preferi, eu posso mim vender ao custo de uma égua Procotó ou pelo preço da campanha do seu candidato a reeleição. E, se ainda assim você achar que é muito pouco ou quem sabe eu esteja pedindo demais, eu posso mim vender pelo preço que foram pagos para trazer para o palanque do seu Candido alguns chefes políticos e vereadores que formavam a base governista no governo dos ex-prefeitos. Mas, no entanto, o meu preço verdadeiro está nas palavras de um determinado ex-prefeito que chamou o seu candidato de perseguidor e mau caráter e, disse mais, que a gestão dele é a pior de todas.  
Continuando eu disse mais, eu posso sem dúvida mim vender ao custo da cara de pau do seu candidato que mandou você oferecer dinheiro e algumas vantagens para mim; o meu voto é igual as mãos que foram levantadas no dia do Comício do 20 no Povoado Tanque Novo, que somaram mais de 4.500 pessoas que foram ver o candidato Ildinho e Gama Neves falar. Saiba de uma coisa, o meu voto custa à dignidade que tem o meu candidato, custa à alegria dele ao falar com os seus eleitores, custa à vontade de querer fazer uma cidade melhor e mais justa, custa o sorriso dele ao apertar a minha mão e dizer que o Povo Heliopolense irá dar a resposta nas urnas ao seu candidato que não soube respeitar o povo que nele votou. O meu voto não tem preço, ele não é vendido e nem comercializado como mercadoria; ele tem o poder de transformação e de tirar do poder pessoas como você que não tem escrúpulos.
Depois dessas palavras o rapaz baixou a cabeça e foi embora. Diante desse fato vale apenas lembrar a você leitor (a) amigo (a), que o seu voto não tem preço e que ele tem o poder de mudar e acabar com a compra de votos aqui em Heliópolis. Quem vende o voto vende a dignidade e deixa de ter nas mãos o poder de mudar. Não venda o seu voto e quem tentar te comprar denuncie a policia ou se preferi arme uma armadilha para que esses compradores sejam todos presos na cadeia. Um forte abraço a todos.

Nenhum comentário: