sexta-feira, 22 de abril de 2011

A ESQUERDA BASTARDA


O Professor Landisvalth dos Santos Lima estará fazendo o Lançamento do seu 2º LIvro (A ESQUERDA BASTARDA), nas Cidades de Heliópolis, Fátima, Salvador e Aracaju. Este livro está sendo muito esperado pelos leitores e fâ da Obra literaria do autor Landisvalth Lima.

Sobre a obra
A Esquerda Bastarda, de Landisvalth Lima, é literatura fortemente engajada. Funciona como uma espécie de farol potente num mundo tomado pela escuridão. Constantino, o protagonista, é professor de Língua Portuguesa e ganha a vida ministrando aulas em Heliópolis, na Bahia, e Aracaju, capital sergipana. Um dia, desperta para a possibilidade de melhoria da educação pública e vê na ação política o tempero ideal. Sua esposa, Isabel Ribeiro, é o seu braço direito. A luta vira utopia porque a esquerda no poder fracassa. O discurso mudou, as práticas são as mesmas de outrora. O romance é uma ultrassonogra-fia do obscuro jogo de poder. Heliópolis é o centro de um tumor maligno. Encravada na divisa da Bahia com Sergipe, na bacia do rio Real, a cidade foi o melhor cenário escolhido para revelar o processo medie-val das práticas política e edu-cacional no interior da Bahia. Ocorre que há sempre alguém disposto a apagar o fogo com gasolina. Constantino vira a mesa e surpreende a todos.

Trecho da obra
“É verdade que dizem que eu não tive paciência com a democracia. Muitos não imaginam o que é ver seus inimigos ocupando posições no governo que você ajudou a eleger e ainda ser perseguido, desprezado e ignorado. Bater nas portas de seus antigos correligionários para exigir metas de transformação da sociedade e receber como resposta a ideia de que agora éramos governo e tudo havia mudado. Era um soco no estômago.
Fato é que estava decidido. Minha atitude, tinha certeza, chamaria a atenção do mundo para o que estávamos vivendo em Heliópolis. E não se trata de falso moralismo. Eu poderia muito bem esconder a sujeira debaixo do tapete. Era só ter um pouco de paciência e poderia ser um prefeito, deputado. Só precisava fechar os olhos e entrar no jogo. Aceitar financiadores de campanha. Aprender a dividir a verba pública com as empreiteiras. Dez ou vinte por cento de cada obra dava um dinheirão. Era só molhar a mão de um conselheiro aqui, um promotor ali, um vereador acolá.
Poderia também deixar a política. Tinha o suficiente para não morrer de fome. Não seria difícil arranjar emprego de professor neste Brasil de meu Deus. Mas como passaria meus dias suportando professores falsos e ingratos, colegas de discurso esquerdista inútil, alunos inocentemente desinteressados, políticos que pulam de galho em galho, incompetência administrativa em todos os setores. Eu não aguentaria. Teria um enfarto. Não resistiria muito tempo. Não teria estômago para isso. A atividade política e educacional era uma espécie de lenitivo, principalmente após lutar para que a esquerda chegasse ao poder.”

Sobre o autor
Landisvalth dos Santos Lima é baiano de Serrinha, nascido em 1961. Professor, político militante de esquerda, jornalista autodidata e escritor. Editor dos jornais A VOZ DA REGIÃO (Serrinha), TRIBUNA DO NORDESTE (Serrinha e Ribeira do Pombal) e A VOZ DO SERTÃO (Heliópolis). Lançou em 2004, pela TEXTOPRONTO, de Aracaju, SE, o romance A MULHER DO PÉ-DE-CABRA. Professor do Colégio do Salvador, da Escola Juscelino Kubitscheck – na capital sergipana – e do Colégio Estadual José Dantas de Souza – em Heliópolis-BA. Formado em Letras pela Universidade Federal de Sergipe – UFS - e Especialista em Literatura Brasileira pela UNIVERSO-RJ, foi ainda professor da Faculdade Ages – em Paripiranga-BA – e da Universidade Tiradentes – UNIT – em Poço Verde-SE. Mantém na internet o LANDISVALTH BLOG (www.landisvalth.blogspot.com). Trabalha em mais sete projetos: um livro de poesia, um de contos e mais cinco romances.

Vale apenas esperar para conferir de perto

Nenhum comentário: